7 Erros de quem se prepara para o Exame de Ordem | Estratégia OAB : Estratégia OAB
Ricardo Torques -

7 Erros de quem se prepara para o Exame de Ordem

Aqui é o Diego Cerqueira, sou professor do Estratégia OAB, e, com base em um excelente artigo de autoria do Prof. Paulo Guimarães, escrevemos para comentar os sete erros mais comuns de quem se prepara para o famigerado do Exame de Ordem. Quero ajudá-lo a entender quais são esses erros, e principalmente a não cometê-los!

O Exame de Ordem é uma grande preocupação dos bacharéis em Direito e daqueles que estão perto de terminar a graduação. As razões para isso são muito simples, pois a prova é absolutamente fundamental não só para quem pretende exercer a advocacia privada, mas também para o exercício de um grande número de cargos públicos, especialmente nas áreas de Advocacia Pública e de Defensoria.

Além disso, é difícil manter o controle emocional quando ouvimos vários relatos de pessoas que já passaram pelo exame muitas vezes e ainda não conseguiram a aprovação.

Vencer esse desafio não é uma tarefa trivial. A preparação adequada exige esforço, disciplina, foco e um bom planejamento. A seguir mostro a você quais são os sete erros muito comuns na preparação para o Exame de Ordem, e – o mais importante – como você pode escapar deles!

1 – Não examinar o edital com atenção

Essa dica vale não só para o Exame de Ordem, mas para qualquer concurso. Você precisa conhecer a regra do jogo para poder jogar! Há informações muito preciosas sobre a prova que estão no edital. É lá que você vai encontrar detalhes sobre as datas, locais e horários de aplicação das provas, sobre os materiais que você pode e não pode levar no dia, se é permitida consulta, divulgação dos gabaritos e padrões de resposta, datas previstas para o resultado e uma infinidade de itens essenciais.

2 – Começar a estudar sem planejar

Preparação exige planejamento. Se você começar a estudar sem traçar um planejamento, vai terminar se perdendo e dando mais atenção do que deve a matérias menos relevantes, e menos atenção àquelas que certamente vão ser cobradas com mais ênfase na prova.

Prepare um bom plano de estudos, contabilizando as horas que vai dedicar ao estudo de cada matéria. Não deixe nenhuma de fora, mas divida o tempo de maneira proporcional à importância que cada uma delas tem de fato. Posso dar a você como exemplo a legislação específica acerca da advocacia e da OAB (Estatuto da Advocacia e da OAB, Regulamento Geral e Código de Ética e Disciplina da OAB). É uma matéria relativamente pequena, mas fundamental na sua prova, que representa 10 das 80 questões!

Se você não tiver uma rotina de estudos estabelecida também vai terminar perdendo muito do seu precioso tempo. Imagine só, a cada vez que você sentar para estudar vai precisar pensar em qual matéria vai pegar, localizar os materiais…

3 – Tentar estudar a matéria toda

É simples: não dá tempo! No total temos 17 matérias, que abrangem quase todo o conhecimento que você precisou adquirir nas milhares de horas que gastou na sua faculdade. É humanamente impossível estudar detalhadamente todas essas matérias até a prova.

“E o que eu faço então, professor?” Dizer que não vai dar tempo pode soar desesperador, mas o mesmo desafio é imposto a todos. Não vai dar tempo para ninguém! O que você precisa é saber quais são as matérias mais importantes, e dedicar mais tempo a ela. Já as matérias menos importantes você pode estudar mais rapidamente.

O segredo mora aqui: você precisa estudar por materiais focados no edital, preparados sob medida para o Exame de Ordem.

4 – Ler muito e não resolver questões

O estudo da teoria precisa ser complementado com a resolução de MUITAS questões. Na realidade acho que “complementado” nem é a palavra certa, pois o estudo da teoria não adianta quase nada se você não compreender a forma como a banca cobra aqueles conhecimentos e treinar a resolução das questões.

E não são quaisquer questões que vão ajudá-lo! É preciso ter questões atualizadas e sempre com foco na banca examinadora! Claro que a resolução de outras questões também vai ajudá-lo a fixar os conteúdos, mas é preciso conhecer bem o inimigo de todos os candidatos ao Exame de Ordem, que é a nossa querida Fundação Getúlio Vargas!

5 – Não conseguir equilibrar o estudo da doutrina, legislação e jurisprudência

No Exame de Ordem temos a cobrança diversificada da banca entre os conteúdos da “lei seca”, da doutrina e dos julgados dos tribunais. Não adianta saber tudo que os Tribunais Superiores têm decidido sobre determinado assunto se não soubermos o que dizem as leis que tratam do tema e o que dizem os principais autores. Não temos como abrir mão de algum desses elementos sem perder preciosos prontos na prova.

É preciso que o estudo do candidato seja conduzido por assunto, e em cada assunto você precisará compreender quais são as principais normas aplicáveis, como os Tribunais têm interpretado essas normas, e quais os principais posicionamentos doutrinários.

6 – Não dar atenção ao emocional

Muitos candidatos se esforçam tanto para estudar que chegam à exaustão física e emocional, e por isso terminam não conseguindo os resultados que poderiam alcançar. Além do estudo, é preciso cuidar bem do seu lado emocional. Certamente você está rodeado de pessoas que torcem pelo seu sucesso, e podem ajudá-lo a manter o medo, a angústia e a ansiedade sob controle.

Sugiro que você dê uma atenção especial ao emocional nos dias que antecederem a prova. Tente descansar na medida adequada (mas sem perder o timing da revisão, por favor!), alimente-se bem, e no dia da prova tenha uma boa noite de sono para poder despender todas as suas energias na batalha final…!

7 – Não fazer uma revisão adequada

A revisão é um item importantíssimo e influencia diretamente os resultados que você alcançará. Separe os últimos dias antes da prova para rever os conteúdos mais importantes, resolva questões, e, se for necessário, releia partes da teoria, principalmente a dos primeiros temas, que você já estudou há algum tempo.

Recomendo uma atenção especial àqueles assuntos cujas questões você errou. Lembre-se sempre de que o erro na hora do treino é o que constrói o acerto na hora em que você não pode se dar o luxo de errar. O tempo que você despenderá na revisão para cada matéria deve ser proporcional ao tempo que você dedicou no estudo.

Muita gente costuma dizer que o estudo nada mais é do que a preparação para uma boa revisão!

Esperamos que o artigo tenha sido útil. Se gostou compartilhe e deixe seu comentário logo abaixo.

Caso esteja se preparando para o Exame de Ordem, não deixe de conferir nossos cursos em .pdf e em vídeo aulas:

CURSOS COMPLETOS PARA O XXIII EXAME DE ORDEM

Acompanhe nossas publicações aqui no Estratégia Concursos ou siga-nos no Facebook ou Instagram:

Facebook Estratégia OAB

Instagram Estratégia OAB

Lembre-se de se inscrever em nosso canal do YouTube para recebe nosso vídeos e dicas.

YouTube Estratégia OAB

Acompanhe-nos também no Periscope:

@estrategiaoab

Caso você tenha alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo, responderemos todos!

Forte abraço e excelentes estudos!