Entrevista aprovado OAB - Estratégia Concursos : Estratégia OAB
Jornalismo -

ENTREVISTA: Manoel Sepulveda – Aprovado no XXV Exame da OAB

“Recomendo que comecem o quanto antes a preparação – ainda na metade do curso, resolvendo questões para conhecer a prova e entender como é feita a cobrança. Aconselho, principalmente, que aprendam a redigir as peças – treinem redação jurídica e façam muitas peças!! Em segundo lugar, tentem não se cobrar demasiadamente e tenham em mente que: na 1ª Fase o candidato precisa de 50% de acertos e está aprovado; já na 2ª Fase, se o aluno fizer uma boa peça  prática (tirar 4,0, por exemplo), só precisará de 2,0 pontos (40%) de acerto nas questões abertas, sendo que a prova permite consulta! Por fim, considero crucial que o candidato saiba usar o seu Vade Mecum – ele é fundamental para o bom desempenho na sua prova!!”

Confira nossa entrevista com Manoel Sepulveda, aprovado no XXV Exame da OAB:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que as pessoas que nos assistem possam te conhecer melhor. Qual o seu nome? Qual sua idade? De onde você é? Já concluiu sua graduação?

Manoel Sepulveda: Saudações a todos os colegas, professores e colaboradores do Curso Estratégia, meu nome é Manoel Sepulveda, tenho 36 anos e sou de Salvador/BA. Concluí o 9º semestre da Graduação em Direito – meu segundo curso superior, pois já sou graduado em Economia.

Estratégia: Durante seus estudos para o Exame de Ordem, você trabalhava, fazia faculdade e estudava para o Exame (como conciliava?), ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Manoel: No meu caso eu trabalho (sou servidor público federal lotado na Justiça Federal/BA) e curso a Graduação em Direito; além disso, possuo família e filhos pequenos, desse modo tive que conciliar esses compromissos com a preparação para o Exame de Ordem.

Estratégia: Foi a primeira vez que prestou o Exame de Ordem?

 Manoel: Sim, essa foi a primeira oportunidade em que prestei o Exame da OAB, no caso o XXV.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver que havia sido aprovado(a)?

Manoel: A sensação foi de muita satisfação e felicidade (além da sensação de dever cumprido), principalmente em razão do investimento de tempo e esforço no planejamento e preparação para a realização da prova. Isso ocorre, porque minha meta era ser aprovado na primeira tentativa – o que felizmente ocorreu!

Estratégia: Os seus colegas de faculdade e amigos que também estavam estudando também conseguiram aprovação? Qual você acha que foi seu diferencial para alcançar a aprovação?

Manoel: De fato, infelizmente o índice de aprovação no Exame de Ordem é baixo, porém conheço algumas pessoas que foram aprovadas e outras que, lamentavelmente, passaram apenas na 1ª Fase. Existem casos, também, de colegas que foram aprovados na última repescagem – o que considero positivo, diante da vantagem de não repetir a preparação para a 1ª Fase, mais exaustiva e com conteúdo muito mais extenso.

Posso citar como diferencial, no meu caso, os seguintes fatores: planejamento prévio e bem realizado (com a seleção das disciplinas mais relevantes diante do tempo disponível até a prova, na 1ª Fase),com a utilização de materiais de qualidade; um bom curso preparatório específico para a 2ª Fase, com a resolução de muitas questões e casos práticos/peças (como o Curso do Estratégia em Direito Administrativo que realizei); minha base e experiência anteriores em concursos públicos – nos quais também tive a satisfação de ser aprovado dentro das vagas anteriormente, por meio da qual me guiei no planejamento e preparação.

Estratégia: Como era sua vida social durante a sua preparação? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar o mais rápido possível?

Manoel: Conforme já relatado, baseado na minha experiência anterior em concursos públicos – cuja preparação é bem árdua e extensa, fiz um esforço concentrado no período entre o início da preparação e a prova, focando na resolução de questões (1ª Fase) das matérias com maior peso e resolvendo as peças/questões propostas pelo Professor no curso da 2ª Fase.

Acerca da vida social, não abdiquei dela obviamente pois considero isso negativo em qualquer preparação para concursos ou provas, porém no período citado tive que reduzir o lazer e convivência com a família – porém com razoabilidade, respeitando os momentos de folga e finais de semana. Estudava normalmente de segunda a sexta-feira e aos sábados pela manhã, sempre que possível.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o Exame? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Manoel: Na preparação para a 1ª Fase, diante do pouco tempo disponível, utilizei basicamente um material específico para a OAB (livro com resumo de teoria e questões de uma editora especializada), focando nas disciplinas de maiores pesos. No caso da 2ª Fase, estudei pelo curso de Direito Administrativo do Estratégia, utilizando primordialmente as videoaulas e também os materiais em PDF para apoio, juntamente com um livro específico de peças e questões (de editora especializada) para a 2ª Fase do Exame de Ordem.

As vantagens que posso destacar são as que seguem:

No caso dos livros, considero um ponto positivo a possibilidade de fazer fichamentos e anotações, além de ajudar aquelas pessoas que tem maior facilidade com o aprendizado em texto – que em regra tem um conteúdo mais completo que as aulas em video; sua desvantagem, a meu ver, é a maior necessidade de concentração que o estudo por meio da leitura demanda.

Em segundo lugar, as videoaulas possuem a grande vantagem de proporcionar uma maior possibilidade (em minha opinião) de fixação do conteúdo, principalmente quando o aluno faz as anotações em caderno dos principais pontos destacados pelo professor. Ademais, entendo que com as aulas em vídeo o aluno consegue se concentrar com mais facilidade, além de poder assistir os vídeos em qualquer local. Dentre as desvantagens desse método, posso citar a ausência de interação ao vivo com o professor como ocorre na aula presencial.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Manoel: Conheci o Estratégia Concursos por meio de pesquisa na internet e optei pelo curso em razão da experiência e qualidade dos professores, estes já consagrados na preparação para concursos públicos, além do fato do curso ter bons materiais e excelentes resultados de aprovação.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o candidato é a quantidade de assuntos que devem ser memorizados. Como você fez para estudar todo o conteúdo? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Manoel: Na 1ª Fase fiz fichamentos do próprio livro específico que utilizei, porém foquei mais nos exercícios – questões anteriores da OAB. O plano de estudos, conforme mencionado, resumiu-se em um cronograma que deu prioridade às disciplinas cujo peso era mais relevante na prova – ex: Ética, que foram estudadas com precedência sobre as matérias de menor pontuação.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Manoel: Em relação às dificuldades, entendo que todo estudante ou profissional tem alguma disciplina com a qual não possui tanta afinidade. No meu caso, tenho predileção pelas matérias de Direito Público (Constitucional, Administrativo), assim como por Direito Processual Civil e Direito Civil. Por ter menos afinidade com Direito Penal e Processual Penal, além de não ter tanto contato com Direito do Trabalho (material e processual), nessas matérias eu fiz um maior esforço na preparação prática (1ª Fase), visando garantir os pontos necessários para a aprovação.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Focava mais na releitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Manoel: Na reta final foquei mais em exercício – 1ª Fase, ou resolução de peças e questões que tinham maior probabilidade de serem cobradas pelo examinador – 2ª Fase.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos aqueles preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Manoel: Aconselho que o candidato pondere sua escolha, baseado em sua situação pessoal: se ele acredita que o desgaste da preparação já não permite que uma maratona de estudos o faça absorver o conteúdo nos últimos dias, melhor desacelerar (o que eu fiz).

Também não recomendo que se percam noites, pois o cansaço físico tem impacto negativo no aprendizado e prejudica o desempenho na prova. O candidato deve trabalhar, principalmente, a confiança – pois o emocional é um dos fatores que mais reprova na OAB.

Estratégia: Para a segunda fase, optou por criar uma peça de qual área do direito? Qual foi sua estratégia na hora de tomar sua decisão?

Manoel: Escolhi a área de Direito Administrativo, por ser a disciplina do Direito material com a qual possuo maior afinidade (juntamente com Direito Constitucional). Considero que escolher bem a disciplina é fundamental na aprovação e que essa decisão não deve se basear na suposta menor dificuldade.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Manoel: Acerca dos possíveis erros, diria que no meu caso eu tentaria começar a preparação com maior antecedência. Sobre acertos, na minha opinião posso citar o planejamento correto e a escolha de bons materiais, além, obviamente, da dedicação e disciplina nos estudos!

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Manoel: O mais difícil, no meu entendimento, é o candidato ter a persistência de continuar estudando até a data da prova e seguir rigorosamente o seu planejamento. Minha motivação principal, além do desafio, foi a minha família!

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para o Exame da OAB? Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Manoel: Pois bem, aos colegas que irão iniciar a jornada recomendo que comecem o quanto antes a preparação – ainda na metade do curso, resolvendo questões para conhecer a prova e entender como é feita a cobrança. Aconselho, principalmente, que aprendam a redigir as peças – treinem redação jurídica e façam muitas peças!! Em segundo lugar, tentem não se cobrar demasiadamente e tenham em mente que: na 1ª Fase o candidato precisa de 50% de acertos e está aprovado; já na 2ª Fase, se o aluno fizer uma boa peça  prática (tirar 4,0, por exemplo), só precisará de 2,0 pontos (40%) de acerto nas questões abertas, sendo que a prova permite consulta! Por fim, considero crucial que o candidato saiba usar o seu Vade Mecum – ele é fundamental para o bom desempenho na sua prova!!

São essas as dicas, espero que sejam de grande valia!

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Confira nossos Cursos Online para Concursos

Assessoria de Comunicação

[email protected]